Ala Musical

ALA MUSICAL

03
Darlan Alves – Intérprete Oficial

Darlan Alves – “Alo X-9… É hora do show… Vamos lá gente!!!”

“Quero fazer história nessa grande escola. Estar na X9 não é um desafio é uma honra”, afirmou o cantor Darlan Alves, durante a calorosa recepção que teve do presidente André dos Santos, do vice-presidente Branco e diretoria, na quadra social da agremiação localizada na zona Norte.

   O intérprete oficial da X-9 Paulistana é o consagrado Darlan Alves, um dos melhores intérpretes de samba de São Paulo, que conta com um forte time de canto. 

   É o profissional responsável pelo andamento do samba-enredo durante o desfile, normalmente auxiliado por um grupo de cantores de apoio, que desfilam ao lado ou sobre o carro de som. Portando microfone, normalmente mais potente do que o dos cantores de apoio, sua voz sobressai sobre os demais integrantes da escola, fazendo com que assim seu objetivo de cadenciar o canto possa ser cumprido.

   O termo tradicional “puxador” parte do princípio de que o samba, durante o desfile, não deve ser interpretado por uma ou poucas pessoas, mas cantado por toda a escola, devendo a música apenas ser “puxada” (iniciada) pelo grupo minoritário. Além disso, muitos entendem que o puxador seria uma categoria especial de intérprete, capaz não somente de dar sua interpretação a um samba mas também, e principalmente, de animar a própria escola e a plateia.

   A partir da década de 1990, Jamelão, da Mangueira, passou a criticar o termo tradicional, buscando substituí-lo por uma nova terminologia:  Intérprete de samba-enredo. Nas palavras de Jamelão, puxador seria quem “puxa fumo, puxa carro, puxa-saco”, sendo na opinião dele, um termo depreciativo. A partir disso, muitos comentaristas e emissoras de TV passaram a substituir o primeiro termo pelo segundo, que no entanto, ainda subsiste.

   Outra polêmica que é ainda frequente em relação aos intérpretes é a questão se seria ou não antiético o intérprete oficial de uma escola participar da disputa interna de sua própria agremiação. Algumas escolas proíbem essa situação, mas liberam seus profissionais para participar de eliminatórias de outras escolas. Atualmente, as escolas tem optado por dois ou mais intérpretes, que juntos formam a voz oficial da agremiação.

Nota: Site Wikipedia / Foto: Sidney Rezende