CARNAVALESCO

topoDIVERSOS

CARNAVALESCO

CARNAVALESCO
Pedro Alexandre Magoo

Carnavalesco

 
PEDRO ALEXANDRE MAGOO

Nascido e criado na rua da antiga escola de samba Paulistano da Glória, que mais tarde encerrou suas atividades e viu os seus componentes migrarem para um bloco chamado Combinados de Sapopemba, Pedro Alexandre, ou simplesmente, Magoo se apaixonou pelo Carnaval nos primeiros anos de vida e hoje faz do seguimento a sua razão de viver.

Formado em desenho indústria e em designer gráfico, Magoo, começou logo cedo a desenhar, construir fantasias e desenvolver alegorias, mas a oportunidade dentro da Combinados de Sapopemba, só surgiu em 1988, quando assinou o seu primeiro Carnaval. “Fiquei na Combinados por 20 anos, até 2008/2009, as pessoas me chamavam para ir para outras escolas e eu não conseguia abandonar os projetos que estavam em andamento por lá, sendo assim, eu fazia trabalhos em paralelo para reestruturar a quadra e também me sustentar. Criava desenhos de carros alegóricos e fantasias para escolas do interior e tudo que ganhava investia no crescimento da Combinados de Sapopemba”, comenta orgulhoso.

Exercendo sua profissão em paralelo, o Carnavalesco trabalhou por 10 anos no jornal O Estado de São Paulo e por mais 8, no Diário de São Paulo. “Eu sempre trabalhei em departamentos de criação, de desenho e de publicidade. Mas só consegui esses empregos porque aperfeiçoei a minha vocação, fiz muitos cursos como bolsista na Escola Panamericana de Arte, lá minhas ideias afloraram e caminhos mais rentáveis foram surgindo”, relembra.

Em 2010, surge a Mancha Verde na vida de Magoo. Frequentador de estádio e palmeirense apaixonado, ele teve a oportunidade somar as duas paixões, e passou a trabalhar ao lado do então Carnavalesco, Cebola, integrando o projeto “Aos Mestres com Carinho! Mancha Verde “ensina” como criar identidade!”, a agremiação dá qual agora integrava conquistou a quarta colocação. “Eu fiquei na Mancha, em 2011 e 2012, depois fui convidado pelo Presidente Mantega para desenvolver um projeto que me identifiquei muito na Nenê de Vila Matilde, foi então, em 2013 que resolvi respirar os ares da Zona Leste, por lá, fiquei três Carnavais muito felizes”, rememora.

Depois de consolidar a Nenê de Vila Matilde no Grupo Especial do Carnaval de São Paulo, em 2016, o profissional recebe um novo desafio, alavancar novamente a Mancha Verde que havia ficado em décimo terceiro lugar no ano anterior. Magoo, aceita e reedita o enredo “Mato Grosso – Uma Mancha Verde no Coração do Brasil”, colocando a agremiação novamente no pelotão de elite. “Foi um ano de muita superação, a autoestima da comunidade estava bem abalada e poucos acreditavam em um retorno. Mas esses poucos se tornaram muitos e a escola subiu até com uma certa folga em comparação com a segunda colocada. Eu fiquei muito feliz de integrar a equipe da Mancha naquele ano e principalmente fazer parte desse momento tão emocionante para sua história. Fiquei na escola em 2017 e em 2018, aliás, nesse ano foi o melhor resultado da escola e da minha carreira no Grupo Especial do Carnaval de São Paulo, foi gratificante fazer essa grande homenagem ao Grupo Fundo de Quintal”, recorda.

Em 2020, Magoo assina seu primeiro carnaval pela X-9 Paulistana.

*Trecho do texto retirado do site da Liga das Escolas de Samba de São Paulo

Carnavalescos que passaram pela X-9 Paulistana

  • Pedro Luis Pinoti
  • Augusto de Oliveira
  • Lucas Pinto
  • Raul Diniz
  • Paulo Fuhro
  • Rodrigo Cadete
  • Flávio Campello
  • André Machado
  • Amarildo de Mello