Mestres

MESTRES DE BATERIA – TRAJETÓRIA

fabio
Fábio Américo

Minha história no carnaval inicia-se em 1992 na escola de samba Vai-Vai onde desfilei na ala show da Tia Creuzi ficando na Bela Vista por 6 anos. Em 1998 recebi um convite para tocar na Acadêmicos do Tucuruvi, no ano seguinte, amigos em comum que tenho no samba, me trouxeram para X-9 Paulistana, já que era da mesma região da então atual agremiação que eu participava. 

Acreditem, foi amor a primeira vista!

Iniciei meus desfiles na X-9 com pé direito em 2000, ano que a nossa escola se consagrava bi-campeã do carnaval paulistano. Em 2004, virei diretor de bateria onde fiquei até 2011. Com a saída do antigo mestre Augusto da X-9, fomos a convite do mestre Adamastor, que na época era mestre de bateria da Tucuruvi tocar lá e, com isso fiquei afastado da X-9 por 2 anos e com toda felicidade voltei em 2014 ficando dois carnavais. Em 2016, não desfilei na X-9, pois fui participar do projeto do mestre Tornado na co-irmã Dragões da Real.

Além das escolas de samba em São Paulo, desfilei também no Rio de Janeiro pelas escolas: Portela, Mocidade Independente de Padre Miguel, Acadêmicos da Grande Rio, Porto da Pedra, União da Ilha do Governador e São Clemente.

Minha saída em 2016, seria apenas um até logo, e hoje a convite do Presidente André e Vice-Presidente Branco me torno um dos mestres de bateria da Pulsação Nota 1000 para o carnaval de 2017.

“Acredito na força da minha comunidade e na garra dos nossos ritmistas… E sei, que juntos iremos trazer nossa escola para onde ela merece. Conto com todos os nossos ritmistas para juntos pegarmos nossas espadas e lutarmos com garra, pois capacidade todos nós temos” – Fábio Américo

kito
Marcus Vinicius – Kito

Minha história no carnaval começa em 1989, na Mocidade Alegre, em 1993 fui para ala show da Tia Creuzi no Vai-Vai onde fiquei por 5 anos.  Em 1997, mestre Tornado me faz o convite para tocar na X-9 Paulistana, já a direção de bateria veio 3 anos depois onde fique até 2011. Após a saída do mestre Augusto, fui para Acadêmicos do Tucuruvi tocar com o mestre Adamastor por onde fiquei 2 anos, adquirindo assim, mais experiências para o meu futuro. Em 2014, volto para X-9 tendo em paralelo uma passagem pela bateria da Imperador do Ipiranga.

Em 2015 e 2016, fiz parte do projeto do mestre Tornado na escola Dragões da Real e, hoje com muita felicidade estou de volta a casa que me recebeu de braços abertos.

“Cada um tem que dar o melhor de si, cada um terá que se entregar por completo para que juntos possamos chegar no nosso objetivo. Confio nos nossos ritmistas, a competência deles é indiscutível. E precisaremos de cada um deles. Eles serão a base mais importante para a realização de nosso trabalho” – Kito