msepb

MESTRE-SALA E PORTA-BANDEIRA

casal
Daniel Vitro e Lyssandra Grooters

Ambos com uma vasta experiência no carnaval, assumem o 1º pavilhão da X-9 Paulistana

Apresentadora: Ingryd Telles


O 1º casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira do G.R.C.E.S. X-9 Paulistana é Danyel Vitro e Lyssandra Grooters, além dos outros casais:

                • Michele e Wellington
                • Hemily e Leonardo
                • Patrícia e Alexsandro

Um pouco de história

   Os casais de Mestre-Sala e Porta-Bandeira surgiram a partir das festas dos vices-reis brasileiros, que eram assistidas escondidas pelos escravos. As bandeiras inicialmente eram de cetim, e um rancho tentava roubar a bandeira do outro, que, na época, a bandeira era chamada de estandarte. O rancho que tinha seu estandarte roubado não podia mais desfilar.

   Quando as mulheres passam a desfilar com a bandeira, o mestre-sala (chamado então de baliza) tem a função de proteger a porta-estandarte das investidas dos homens dos outros ranchos que tentavam roubar o estandarte. Para dar essa proteção, o baliza misturava movimentos de dança e de luta para defender e apresentar o estandarte (símbolo máximo do rancho) para o público.

  Em São Paulo, a primeira porta-estandarte foi Arminda, do Moderados da Lapa, e o primeiro mestre-sala,Manezinho do Peruche, na década de 1950. Atualmente o estandarte só é usado em blocos — as escolas de samba usam pavilhões. E, adaptando as tradições, o mestre-sala continua sendo um guardião e um súdito da porta-bandeira, que deve ser tratada como uma rainha.

A dança do casal

   O casal de mestre-sala e porta-bandeira tem a função de apresentar e representar o pavilhão de sua escola — ele não pode querer aparecer mais do que o pavilhão. O casal tem que ter estilo próprio e saber usar a sua criatividade na dança, mas não deve fugir da tradição no que diz respeito à função nem usar passos que desrespeite o pavilhão. Exemplo? A porta-bandeira em hipótese nenhuma, enquanto está carregando o pavilhão, pode se ajoelhar no chão, fazer movimento brusco ou sambar. O mesmo serve para o mestre-sala.

   O entrosamento entre o casal é fundamental. A partir daí é que surge uma dança de qualidade. O casal deve bailar com leveza, simpatia, elegância. Deve se comunicar por meio de olhares. A boa evolução do casal deve acontecer harmonicamente e ter espontaneidade, mas não pode estar alheio ao desfile. Acima de tudo, o casal deve amar o que faz.

O pavilhão

   É o símbolo máximo da escola e, por isso, deve ser tratado com muito respeito. No mundo das escolas de samba, ele representa a comunidade e, em geral, mostra a história da agremiação (suas vitórias, suas derrotas) etc.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

   Ela tem a função de carregar e apresentar o pavilhão. Para dançar, a porta-bandeira deve estar de saia longa e rodada, salto, blusa sem decotes exagerados. Mesmo quando não for dançar, a moça deve se vestir sem extravagância e manter a postura. O mestre-sala tem a função de cortejar a porta-bandeira e defender o pavilhão. Para dançar, deve estar de camisa, calça social e sapato. Mesmo se não for dançar, deve manter a postura.